Alginac – Para que serve? Como funciona? Veja a bula!

Para que serve o Alginac

Alginac serve para o tratamento de:

  • Lombalgias (dores na região inferior das costas)
  • Cervicalgias (dores na região posterior ou lateral do pescoço)
  • Braquialgias (dores nos braços)
  • Radiculite (inflamação da raiz de um nervo)
  • Neuralgia intercostal (dor nos nervos que suprem os músculos entre as costelas)
  • Síndrome do túnel do carpo (dor, alterações da sensibilidade ou formigamentos no punho)
  • Fibromialgia (dor crônica que migra por vários pontos do corpo e se manifesta especialmente nos tendões e nas articulações)
  • Espondilite (inflamação das vértebras)
  • Neuropatias periféricas de etiopatogenia diversa.

Como funciona o Alginac

Alginac é uma combinação do anti-inflamatório diclofenaco sódico com as vitaminas B1, B6 e B12, possuindo ação analgésica, antineurítica (alívio das inflamações em nervos) e anti-inflamatória.

Como tomar o Alginac

As doses mais comuns de uso do Alginac 1000 são:

  • 1 comprimido de 12 em 12 horas, totalizando 2 comprimidos por dia.
  • 1 comprimido de 8 em 8 horas, totalizando 3 comprimidos por dia.

No entanto, cabe ressaltar que cabe ao médico analisar individualmente cada caso clínico adaptando a melhor dosagem de medicação e a duração de tempo de tratamento, de acordo com a idade do paciente e às suas condições gerais.

A duração do tratamento é determinada pelo médico de acordo com suas necessidades de resposta e tolerância. O seu médico irá tentar manter o tratamento o mais curto possível.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Os comprimidos do Alginac devem ser ingeridos inteiros (sem mastigar), junto às refeições, com auxílio de líquido.

Este medicamento não deve ser partido ou mastigado.

Lembre-se, nenhum medicamento deve ser usado sem prescrição e receita de um profissional da saúde qualificado.

O que fazer no caso de esquecimento de uma dose?

Caso você se esqueça de tomar o medicamento no horário estabelecido pelo seu médico, tome-o assim que lembrar.

Entretanto, se já estiver perto do horário da próxima dose, pule a dose esquecida e tome a próxima, continuando normalmente o esquema de doses recomendado pelo seu médico.

Neste caso, não tome o medicamento em dobro para compensar doses esquecidas.

Veja também: Tandrilax – Para que serve? Como funciona? Veja a bula!
Veja também: Nimelit – Para que serve? Como funciona? Veja a bula!
Veja também: Buclina – Para que serve? Como funciona? Engorda?

bula do alginac 1000 como funciona

Contraindicações do Alginac

Alginac é contraindicado nas seguintes situações:

  • Histórico de broncoespasmo (chiado ou falta de ar), asma, rinite (nariz entupido) ou urticária após ter feito uso de outros AINE’s (anti-inflamatórios não esteroides).
  • Úlcera péptica aguda (úlcera no estômago ou intestino) ou sangramento no trato digestivo ou histórico de úlcera péptica ou de sangramento.
  • Sangramento cerebrovascular agudo ou outros sangramentos graves.
  • Insuficiência renal grave (depuração de creatinina < 30 ml/min).
  • Insuficiência hepática grave (níveis de ALT/AST > 30 vezes o limite superior).
  • Insuficiência cardíaca grave (NYHA classe IV).
  • Hipersensibilidade (alergia) a qualquer um dos princípios ativos ou excipientes da fórmula.
  • Gravidez
  • Em crianças abaixo de 12 anos de idade, devido ao alto teor de diclofenaco.

Este medicamento é contraindicado para uso por pacientes com doença grave no fígado ou nos rins.

Este medicamento é contraindicado para uso por pacientes com insuficiência cardíaca grave.

Alginac 1000 não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Informe imediatamente seu médico em caso de suspeita de gravidez.

Úlceras gastrointestinais

Pode ocorrer ulceração gastrointestinal, sangramento ou perfuração durante tratamento com diclofenaco, sem sinais prévios de alerta.

O risco pode estar aumentado com o emprego de doses altas ou durante tratamentos prolongados, assim como no uso em pacientes idosos.

É recomendável cuidado especial caso o Alginac 1.000 seja utilizado conjuntamente com outros medicamentos que aumentam o risco de ulceração ou sangramento (como corticosteroides, anticoagulantes).

Doenças cardiovasculares (que afetam o coração ou os vasos sanguíneos)

O diclofenaco pode causar retenção de líquidos ou edema.

O uso do diclofenaco, particularmente em doses acima de 100 mg/dia e durante tratamentos prolongados, pode estar associado com um risco aumentado de eventos trombóticos arteriais, como infarto do miocárdio ou derrame.

Recomenda-se acompanhamento cuidadoso, especialmente em pacientes com histórico de doenças cardiovasculares.

Redução da função renal

Em pacientes desidratados, o diclofenaco aumenta o risco de toxicidade renal.

Assim, desidratação tem que ser evitada em pacientes sob tratamento com Alginac.

Recomenda-se especial cautela em pacientes com insuficiência renal leve ou moderada.

Redução da função hepática

Recomenda-se cautela quando Alginac é administrado em pacientes com insuficiência hepática leve ou moderada.

Distúrbios cutâneos

Podem ocorrer reações cutâneas graves, particularmente no início do tratamento.

Desta maneira, o diclofenaco somente dever ser administrado em pacientes portadores de porfiria intermitente aguda ou lupus eritematoso sistêmico após cuidadosa avaliação de risco contra benefício.

Intolerância a certos açúcares

Como Alginac contém lactose, seu emprego não é recomendado em pacientes com doenças hereditárias raras de intolerância à galactose, deficiência de lactase de Lapp ou má-absorção de glicose-galactose.

Neuropatias têm sido descritas na literatura com a administração prolongada (6 -12 meses) de doses diárias médias de mais de 50 mg de piridoxina.

Desta forma, recomenda-se acompanhamento regular durante tratamentos de longa duração.

Uso em idosos

É recomendado cautela quando do uso em pacientes idosos, debilitados ou naqueles com baixo peso corporal, sendo particularmente recomendável a utilização da menor posologia eficaz.

Uso em crianças

O diclofenaco não é indicado para crianças abaixo de 14 anos, com exceção de casos de artrite juvenil crônica.

Gravidez

Informe seu médico se você acha que pode estar grávida.

Alginac 1.000 não deve ser utilizado durante a gravidez, pois pode prejudicar o bebê.

O diclofenaco inibe a implantação e desenvolvimento embrionário em estudos com animais.

Administrado no final da gravidez, o diclofenaco pode também causar um fechamento prematuro do canal arterial.

O diclofenaco pode induzir embriopatia.

A combinação das vitaminas B1, B6 e B12 não induziu efeitos teratogênicos e embriotóxicos em coelhos e ratos.

Não há relatos de efeitos teratogênicos associados em seres humanos.

Categoria de risco X.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento.

Amamentação

Informe seu médico se está amamentando; ele decidirá se você pode tomar Alginac.

O diclofenaco é excretado no leite materno em pequenas quantidades. As vitaminas B1, B6 e B12 são excretadas no leite materno, mas os riscos de dose excessiva para o bebê não são conhecidos.

Assim, Alginac somente é recomendado para uso durante a amamentação se tratamento com um AINE é claramente necessário.

Direção de veículos e operação de máquinas

O uso de Alginac 1000 pode, ainda que raramente, provocar distúrbios de visão, tontura ou sonolência.

Caso perceba algum destes efeitos, você não deve dirigir ou operar máquinas.

Informe seu médico logo que sentir tais efeitos.

Efeitos colaterais e reações adversas

Como todos os medicamentos, Alginac pode causar algumas reações desagradáveis.

No entanto, estas não ocorrem em todas as pessoas.

Caso você tenha uma reação alérgica, deve parar de tomar o medicamento.

Podem ocorrer as seguintes reações desagradáveis, nas frequências descritas a seguir:

  • Reação muito comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)
  • Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)
  • Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento)
  • Reação rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento)
  • Reação muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento)
  • Reação com frequência desconhecida (não pode ser estimada a partir dos dados disponíveis)
Distúrbios do sangue e sistema linfático

Muito raros: redução no número de células sanguineas e/ou de plaquetas (trombocitopenia, leucopenia, anemia aplástica, agranulocitose) e quebra anormal das células vermelhas do sangue (anemia hemolítica).

Distúrbios do sistema imunológico

Frequência desconhecida: certas reações de hipersensibilidade (alérgicas), sudorese, frequência cardíaca rápida e reações cutâneas com prurido (coceira) e urticária.

Raros: certas reações de hipersensibilidade (alérgicas), pressão baixa, acúmulo de líquidos e reações anafiláticas.

Distúrbios psiquiátricos

Raros: desorientação, insônia e irritações psicóticas.

Distúrbios do sistema nervoso

Frequência desconhecida: vertigem, confusão, dor de cabeça e fadiga.

Raros: sensação de formigamento (parestesia), alterações da sensibilidade e da memória.

Distúrbios oculares

Raros: alterações visuais.

Distúrbios do ouvido e labirinto

Raro: zumbido.

Distúrbios cardíacos

Frequência desconhecida: retenção de líquidos, edema, pressão alta; eventos arteriais trombóticos, como infarto do miocárdio ou derrame.

Distúrbios gastrintestinais

Frequência desconhecida: dor de estômago (dor abdominal), náusea, vômitos, diarreia, dificuldade na digestão (dispepsia), flatulência, falta de apetite (anorexia).

Incomuns: doenças inflamatórias do intestino (exacerbação de colite ulcerativa ou doença de Crohn), inflamação das gengivas e da mucosa oral (gengivoestomatite), lesões do esôfago, inflamação da língua (glossite), prisão de ventre.

Raros: ulceração gastrointestinal, sangramento, perfuração, alterações do paladar.

Distúrbios hepatobiliares

Frequência desconhecida: elevação dos níveis das enzimas hepáticas (ALAT, ASAT), lesões das células do fígado, particularmente com tratamentos prolongados; inflamação do fígado com ou sem pigmentação amarelada da pela (icterícia).

Distúrbios da pele e do tecido subcutâneo

Muito raros: reações bolhosas da pele potencialmente grave com risco de vida (eritema multiforme, síndrome de Stevens-Johnson, necrólise epidérmica tóxica), certos tipos de erupções cutâneas (rash vesicular, eczema, dermatite esfoliativa), perda de cabelo (alopecia), reações de fotossensibilidade, descolorações vermelhas na pele causadas por sangramentos (púrpura).

Distúrbios urinários e renais

Raros: presença de sangue na urina (hematúria), presença de proteínas na urina (proteinúria), insuficiência renal aguda.

Informe ao seu médico, cirurgião dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.

Informe a empresa sobre o aparecimento de reações indesejáveis e problemas com este medicamento.

Interações com alimentos e outros medicamentos

Quando Alginac é administrado com alimentos, a extensão da absorção do diclofenaco não é alterada.

Entretanto, alguns medicamentos podem interferir com o seu tratamento.

Informe seu médico se estiver tomando ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos sem exigência de receita médica.

Isto é particularmente importante se você estiver fazendo uso de algum dos seguintes medicamentos:

  • L-dopa (usado para tratar a doença de Parkinson): o efeito da L-dopa pode ser reduzido quando a vitamina B6 é administrada concomitantemente.
  • Antagonistas da vitamina B6, como isoniazida, ciclosserina, penicilamina, hidralazina: a eficácia da vitamina B6 pode ser diminuída.
  • Diuréticos de alça (utilizados para tratar hipertensão e edema), como a furosemida: com o uso a longo prazo, os níveis sanguíneos de vitamina B1 podem ser reduzidos.
  • Quaisquer outros AINEs, glicocorticoides (usados para tratar a inflamação) ou inibidores da recaptação de serotonina (usados para tratar depressão): a ingestão concomitante destes medicamentos pode aumentar o risco de ulceração e sangramento gastrointestinal.
  • Inibidores da agregação plaquetária ou anticoagulantes (para afinar o sangue, como a varfarina): a eficácia destes medicamentos pode ser aumentada quando o diclofenaco é administrado concomitantemente.
  • Digoxina, fenitoína, lítio, diuréticos poupadores de potássio ou metotrexato: os níveis séricos destes medicamentos podem ser aumentados quando o diclofenaco é administrado concomitantemente.
  • Ciclosporina (usada para tratar algumas doenças inflamatórias e pós-transplantes): a toxicidade renal pode ser aumentada quando o diclofenaco é administrado concomitantemente.
  • Diuréticos ou medicamentos para baixar a pressão sanguinea: a eficácia destes medicamentos pode ser diminuída quando o diclofenaco é administrado concomitantemente.
  • Medicamentos contendo probenecida ou sulfinpirazona: a excreção destes medicamentos pode ser prolongada quando o diclofenaco é administrado concomitantemente.

Superdosagem

Se você ingerir acidentalmente mais comprimidos de Alginac do que deveria, informe seu médico; ele decidirá que medidas tomar.

Sintomas

Não foram relatados casos de dosagem excessiva com vitamina B1 ou vitamina B12. A neuropatia sensorial e outras síndromes neuropáticas sensoriais podem ser causada pela administração de doses elevadas de vitamina B6. Os sintomas de uma dose excessiva de diclofenaco podem incluir pressão baixa, insuficiência renal, convulsões, irritação gastrointestinal ou insuficiência respiratória.

Tratamento

Os sintomas de dose excessiva de vitamina B6 melhoram gradualmente com a suspensão do uso da vitamina.

Em caso de dose excessiva aguda com diclofenaco, medidas de suporte e sintomáticas são recomendadas.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível.

Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Cuidados, precauções e armazenamento

Mantenha o Alginac em um local afastado da luz do sol e da umidade. Conserve em temperatura ambiente (entre 15º a 30º) para evitar alterações em sua consistência.

Se observar alguma alteração no medicamento, tais como mudança na cor, no cheiro ou na textura, não faça uso deste medicamento e procure um farmacêutico para verificar sua integridade.

Sempre verifique a data de validade na embalagem do produto, jamais use um medicamento se a data de validade estiver vencida.

Siga sempre as orientações de uso do medicamento, nunca excedendo a quantidade recomendada pelo seu médico.

Mantenha qualquer medicamento longe do alcance de crianças.

Não desaparecendo os sintomas, procure orientação de seu médico ou cirurgião-dentista.

Preço do Alginac

O preço do Alginac varia entre R$ 20,00 a R$ 50,00. A variação costuma estar relacionada com a quantidade por embalagem, a cidade e o local onde este é comercializado.

Dados técnicos e aparência

Os comprimidos de Alginac são alongados, biconvexos, de coloração vermelha.

Embalagem contendo 4, 15 ou 30 comprimidos.

Uso adulto
Uso oral

Componentes: cada comprimido de Alginac contém 1.000 mcg de vitamina B12 (cianocobalamina), 50 mg vitamina B6 (cloridrato de piridoxina), 50 mg de vitamina B1 (nitrato de tiamina) e 50 mg de diclofenaco sódico.

Excipientes: talco, estearato de magnésio, lactose, celulose microcristalina, carmelose sódica,

dióxido de silício coloidal, Eudragit RL 30D, macrogol, dióxido de titânio, simeticona, citrato de trietila, metilparabeno, propilparabeno, povidona, corante vermelho FDC nº 6.

Merck S.A.